Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Asas

Asas

Poema de Tarso Correa 02/02/1980

Podem prender meu corpo,
Mas não prenderão meu pensamento;
Que de mim faz um caminhante,
E alivia este tormento;
Viajo pelas palavras e caio em incógnitas,
Segredos vivos, vivos e mortos;
E nas pessoas me encontro.
Neste encontro de hipócritas.
Nas linhas da mente,
Voo e revoo, um voo rasante,
E vem uma alegria infinita,
De ser livre e amante
Dos pensamentos que minha alma grita, grita, grita.

LADAINHA DO SERTÃO

LADAINHA DO SERTÃO - poema de Tarso Correa A terra rachada, Como a sola dos meus pés, A alma magoada, amarrada, Engaiolada igual passar...