Pesquisar este blog

sexta-feira, 21 de março de 2014

Agudar

Poema de Tarso Correa



Agudar


Para os males do corpo,
Tem como remediar.
Pressão alta Captopril,
Atacado por bactérias, Amoxicilina,
Falta de ar, Aminofilina,
Ou se desespera com coceira na cabeça, não se padeça, Sulfiram.
Caso tenha medo do mundo, o melhor é Citalopram.
Para tantos outros males pode ser: Atenolol, Diazepam,Letrozol, Lorazepam, Nistatina, Dioxina, e por ai vai.
Mas se o mal é da alma,
Ao amor não correspondido, perdido,
O jeito é ter muita calma.
O que importa é o amor,
Ele não pede troca, nem volta.
Simplesmente se permita;
Chorar, chorar até acabar as lágrimas,
Até ficar sem ar.
Pânico? Não cabe neste momento;
Mantenha o desespero na quietude,
O ardor do tormento abafado na sua amplitude.
Seja maior, seja mais;
O que importa é o amor,
O calor que ele é,
O valor que ele tem.
Ame e seja intenso,
Seja grande, seja denso,
Seja o universo,
Disperso no todo, concentrado no tudo,
Associado na magnitude do agudo.

Verdades Puídas

Verdades Puídas - poema de Tarso Correa A verdade é um pouco das mentiras que nos contam! Várias incorporei por comodidade, Outras por i...