Pesquisar este blog

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

A bailarina

Poema de Tarso Correa


A bailarina



Na harmonia das notas musicais,
Na ponta dos pés a pequena bailarina
Vai costurando filigranas de luz no tablado de madeira,
Tecendo redes invisíveis de pentagramas;
São rimas angelicais entre o corpo e a sonoridade,
Emaranhado simples e complexo parecendo uma singela brincadeira,
Encoberta por uma tênue neblina de som e magia;
Vai trançando os pés e meu coração,
Brincando com meus desejos mais puros impressos na retina;
Carolina, Marina, Sabrina, não importa,
É simplesmente uma menina bailarina,
Que amarrou o meu amor platônico,
No sonho que se apagou;
Quando a luz acendeu,
A realidade me escondeu,
Na cortina da vida que descerrou.

LADAINHA DO SERTÃO

LADAINHA DO SERTÃO - poema de Tarso Correa A terra rachada, Como a sola dos meus pés, A alma magoada, amarrada, Engaiolada igual passar...