Pesquisar este blog

domingo, 14 de agosto de 2016

PAI

Pai - poema de Tarso Correa


Ai, Ai, meu pai;
Fostes embora mas ficou a saudade,
Que embaça meus olhos,
Nas lágrimas que teimam em não cair;
Da vida, foi pura maldade,
Que deixou trancada em ferrolhos,
A vontade de te ter;
Abrir o coração, te beijar,
E em teus braços me acolher.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Sentimento rasgado

Sentimento rasgado - poema de Tarso Correa

A unha cravada na carne,
Retrato do desejo de segurar o momento
Que no corpo arde;
O suor latejando na pele,
A troca de desejos reprimidos, transpirando pelos pensamentos,
Que correm em cenas desconexas;
Tudo evapora, expele
Pelas bocas, vapores, imagens de desejos,
Que o tempo não apagou;
A saudade, que comigo morou,
Emana em flashes de lamentos complexos,
Que se dissolvem no encontro das lágrimas contidas,
Reprimidas pela ausência,
Na carência do outro.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Textura de Luz

Textura de luz - poema de Tarso Corrêa

A vida é uma imersão, inversão;
Hoje, quando o até logo se aproxima,
Onde as rimas não fazem mais sentido,
Momento mais doído,
No vácuo das perguntas sem respostas,
Sentindo o peso do mundo nas costas,
Na ausência que me exponho;
Quando a penumbra envolve meus sonhos,
Que se desfazem na dependência,
Carência;
Então, tudo se ilumina pelos seus sorrisos,
Refletidos na sua retina, opaca pela catarata,
Transformando tudo, lavado pela cascata de paz,
Que toda angústia se desfaz
Acalma a alma, afaga;
Apaga a dor,
Dando cor;
Tudo pelo dom de poder ser mãe da minha mãe.

LADAINHA DO SERTÃO

LADAINHA DO SERTÃO - poema de Tarso Correa A terra rachada, Como a sola dos meus pés, A alma magoada, amarrada, Engaiolada igual passar...